O mês de Maria, a mãe de Deus e nossa, chegou!

         
 A primeira referência a respeito de maio como mês mariano encontramos na Idade Média, com as Cantigas de Afonso X, o Sábio, rei de Castela e León (+1284). Cantando a abundância dos bens que maio traz (é a estação das flores na Europa), o rei cristão convidava a invocar Maria a fim de que as bênçãos espirituais e materiais fossem ainda maiores (cf. Dicionário de Mariologia, Paulus, 1995, p. 887). No paganismo antigo, neste mês se honrava a deusa da vegetação “Flora Máter”; mas aquela que merece ser venerada por “todas as gerações” (Lc 1,48) é a Imaculada Mãe do Filho de Deus!
          Em 1917, tempo de guerras e confusões, Maria Ssma. se manifestou ao mundo através de humildes pastorinhos (Lúcia, Jacinto e Francisco) em Fátima, Portugal, convidando a todos a rezar diariamente o Terço pela paz pelo mundo e a conversão dos pecadores. O dia 13 de maio marcou o início das aparições, que se estenderam até 13 de outubro.Grande influência estes fatos tiveram para a instituição da festa litúrgica (hoje memória) do Imaculado Coração de Maria, estabelecido pelo Papa Pio XII em 1944 (decreto “Cultus liturgicus”), um fato importante para a história da liturgia e da mariologia (só comparável ao de Lourdes, na França).
          
O Papa Pio VII foi o primeiro Sucessor de São Pedro a conferir ao mês de maio especiais indulgências, em 1815. Os papas posteriores vão confirmar esta devoção mariana. Por exemplo, em 1897 o Papa Leão XIII assim se expressou na sua Encíclica “Augustíssima Virgem Maria”: “Depois de havermos dedicado a esta divina Mãe o mês deMaio com o dom das nossas flores, consagremos-lhe também, com afeto de singular piedade, o mês de Outubro, que é mês dos frutos. De feito, parece justo dedicar estes dois meses do ano àquela que disse de si: "As minhas flores tornaram-se frutos de glória e de riqueza" (Eclo 24,23)” (n. 4). Os santos não vão deixar de honrar Maria de um modo especial neste mês. Em seu Diário espiritual, S. Faustina Kowalska se propunha – no ano de 1937 – uma “flor” aos “pés de Nossa Senhora” – Qual? “A prática da mansidão” (n. 1105; cf. 1114).
          E você? Já pensou o que pode lhe oferecer neste mês de maio?

Nenhum comentário:

Postar um comentário